Arquivos de Tag: link

Você sabe coletar informações na internet?

O segundo tipo (já falamos do leitor de emails) é o coletor de informações. Para ver seu tipo, confira aqui. Esse tipo coleta muitas informações, é o professor que conhece vários sites onde pode baixar apostilas (nem sempre editáveis, daí as famosas “colagens”) e que usa com seus alunos, tira xerox e vai distribuindo. Usa o “favoritos” e sempre encontra o que procura. Bem, nem sempre. Aí um belo dia aquele computador sofre uma pane e – adeus meses (ou anos) de buscas na internet.

Uma dica: se os recursos estão na internet, por que não deixá-los lá onde estão até o dia em que precisar deles? Estarão seguros e do mesmo jeito. Ah, mas eu quero porque quero os documentos comigo, vai que o dono resolve deletar ou o site desaparace do dia pra noite.

Bem, pela minha experiência sites sérios não “desaparecem”. Os sites que vivem de copiar trabalhos alheios sim, esses desaparecem, porque são banidos ou removidos. Mas será que os trabalhos baixados de sites assim são confiáveis? Será que você pretende mesmo passar para seus alunos o produto de um site que não se sabe exatamente a que veio?

Bom, vamos colocar em duas partes então:

– Para os que querem baixar tudo

Para os professores que sofrem de SDC (Síndrome de Download Compulsivo) a solução é não estocar tudo no computador, senão ele ficará cada dia mais pesado dificultando suas buscas e em qualquer momento que sofra uma pane você ficará a ver navios. E vai que ele “não queira” abrir justamente no dia em que você tem 10 apostilas para passar para seus alunos?

A solução são os DV’s (ou drives virtuais). Há dezenas de sites que “estocam” seus documentos e você pode escolher se quer compartilhá-los ou guardá-los só para você. Se quiser guardar só para você, escolha que os quer privados ou coloque uma senha na pasta – e não conte para ninguém.

Alguns sites que estocam apostilas:

4shared – até 15 GB de drive virtual grátis, basta confirmar seu endereço de email. O mais conhecido e mais usado, se você conseguir algo como 100.000 downloads eles até te dão uma conta premium por um mês.O chato é que para fazer download, se você não é premium, será redirecionado para 2 páginas diferentes e terá que esperar alguns segundos até começar o download. Com uma conta comum também terá que fazer login pelo menos a cada 30 dias ou – surpresa! – seus documentos desaparecerão como num passe de mágica.

box – Bem mais simples mas de download mais fácil. 1GB para contas comuns, não há necessidade de fazer login todo mês. A desvantagem é que cada documento não pode exceder 25MB, para documentos maiores você terá que adquirir uma conta premium. (Veja preços no site)

Skydrive – se você tem uma conta hotmail já tem um Skydrive. Basta olhar na sua caixa de entrada e clicar em cima, à direita em “mais” e vai encontrar. Dá para estocar de 5 a 25 GB de documentos. A desvantagem é que não tem java uploader, você tem que fazer upload um por um (haja tempo e paciência!) E você não paga nada e pode escolher se quer compartilhá-los ou não.

Open Drive – relativamente novo, estou testando ainda. Novo site dos antigos donos do Boxtr (que escafedeu com os documentos de todo mundo), fornece hotlink (se clicar no link já começa o download, não direciona para lugar nenhum), dá 5GB grátis e tudo que você tem que fazer é ter paciência porque por enquanto não tem java uploader (senão seria perfeito).

Há o Megaupload (nacional), o ifile (italiano) e muitos outros. Só pra ter uma ideia, vá até a página do Google e digite na busca: “storage” e vai encontrar páginas e páginas de sites doidos pra guardar seus documentos. E por que não?

Guardar projetos

Ah, mas é um projeto. Várias pessoas irão baixar e trabalhar o mesmo documento? Recomendo em primeiro lugar que abra uma conta de email do Google. Vá até o Gmail e abra uma. Lá, na caixa de entrada, na parte superior esquerda você verá: Docs. Assim que você clicar e entrar um novo mundo começará. Você faz upload de um documento e convida outros clientes do Gmail (seus alunos, por exemplo) e eles poderão também editar o documento. Para pesquisas, onde cada grupo tem uma parte, não fica perfeito? (Olha você usando a internet 2.0!) Esse projeto ficará online, cada um entrará no momento melhor e colocará sua parte no documento. Ao final cada um poderá fazer o download de sua cópia, em alguns formatos diferentes. Até PowerPoint pode ser editado (criado) assim. E você nem precisa fazer upload, já pode “começar” o documento de lá direto.

– Para os que querem “encontrar”

Em primeiro lugar, baixe o Firefox. Não entendo como pude viver tantos anos sem ele. Depois de feito isso, procure na página todos os add-ons possíveis. Há vários add-ons de buscas de pdf, word, vídeos, notícias, e o que mais você quiser. Encontrou o que procura? Então o negócio agora é marcar onde está. Vá até o Delicious. É um site simplesmente delicioso. Você vai abrir uma conta e instalar o add-on no Firefox. Nem precisa se preocupar, isso faz parte do processo da abertura da conta.

Depois aparecerão 3 ícones no seu navegador: o primeiro à esquerda é para visitar o seu perfil com seus links; o do meio é para abrir uma barra no seu navegador (abrirá à esquerda) e através de palavras-chaves você irá encontrar todos os sites que você selecionou; o último é que é o quente: cada vez que encontrar alguma coisa interessante clique nele, abrirá um painel onde você vai colocar nas palavras-chave (keys) o que encontrou (apostila, inglês, reading, online_exercise), vale qualquer palavra que lembre o que você encontrou. Quando quiser visitar o site de novo basta clicar no ícone do meio e procurar pela sua palavra-chave.

E você pode procurar links por palavras-chave no perfil de qualquer um dos outros membros do Delicious. Ou seja, se alguém encontrou o que você está procurando esse link estará disponível para você. E podem formatar seu computador, podem até jogar no lixo. Seus sites favoritos continuarão lá a salvo no mundo virtual (sabe Deus onde, exatamente). E você poderá acessá-los em casa, na escola, no escritório do seu marido, no celular…

– Blogs

Hoje em dia há blog pra tudo, principalmente para o ensino. Há muitos professores que já têm um blog, então porque não se beneficiar? Sempre que encontrar um blog com material interessante, divulgue para colegas e alunos. Envie o link por email. E para não perder o blog de vista, inscreva-se nas postagens. Como? Se você tem um blog basta clicar em “seguir / follow”. Se não tem, clique em “inscrever-se / subscribe”. Há uma caixinha, coloque seu email e “enviar / send”. Pronto. A cada nova postagem do blog você receberá um resumo com links na sua caixa de email. Não há mais como perder esse blog de vista.

– Google Reader

Ao abrir uma conta Google, você pode usar não só Orkut, Google Docs. Você pode usar o Google Reader. Na parte superior de seu email deve haver esse link, se não tiver clique na parte superior em “mais” que irá encontrar. Entrando no Reader você faz buscas de blogs e sites que contenham os assuntos que te interessam (English grammar, por exemplo). Basta fazer a busca e haverá trocentos resultados. Você vai lendo os conteúdos e se te agradarem, inscreva-se através do Google Reader. Todas as postagens novas serão enviadas para o seu “leitor de feeds (Google Reader)” e você não vai precisar baixar mais nada nem visitar dezenas de sites e blogs só pra descobrir que os donos tiraram férias numa ilha onde não há nem eletricidade, então não há novas postagens.

Bem, vá digerindo essas informações e tentando seguir as dicas. Qualquer problema é só postar um comentário que eu posto um tutorial com imagens para resolver o problema.

Depois discutiremos como transformar um “coletor de informações” em um “escritor”.

Leia também:

Recursos da internet na educação

Como usar a internet no ensino – leitor de emails

Anúncios

Links para o final de semana (3)

Esse site é ótimo, tem notícias do mundo todo e o que é melhor: tem os áudios das notícias para você baixar. Você copia a notícia, baixa o áudio e aí pode preparar uma bela aula, e seus alunos vão praticar os quatro skills: audição, fala, escrita e leitura.

Melhor ainda: é de graça, não precisa fazer inscrição, não requer prática nem tampouco habilidade. Você baixa só o áudio, ou pode baixar a trasncrição também. Para baixar o áudio, basta clicar no link com o botão direito do mouse e escolher “salvar link como”. E pronto. Metade de sua aula já está pronta, só fica faltando você criar alguma atividade de reading, vocabulário e gramática. A matéria-prima você encontra toda no site.

VOA NEWS

Leia também:

Links para visitar no final de semana

Links para o final de semana (2)

Como pedir as dinâmicas

Clique aqui e visite o blog com dinâmicas

Clique aqui e visite o blog com dinâmicas

Dou aulas de inglês e espanhol desde 1998 e logo no início me encantei com as dinâmicas e os objetivos que se pode alcançar com elas. Nas escolas da rede CCAA (onde dou aulas) também se valoriza muito isso e sempre recebíamos sugestões de dinâmicas e quebra-gelo para o primeiro dia de aula. Logo percebi que além do primeiro dia, elas também poderiam ser usadas em vários passos de minha aula e fui colecionando várias ao longo dos anos, criando também as minhas e adaptando outras às minhas necessidades.

Quando criei esse blog foi na intenção de debater assuntos ligados ao ensino com meus colegas professores e é essa função primordial desse blog. Entre os assuntos debatidos aqui está o “métodos de ensino” e em determinado momento eu abri a discussão sobre dinâmicas e publiquei aqui algumas para ilustrar os usos e objetivos que se pode obter com elas. Foi um sucesso e choveram pedidos de mais.

Cheguei a atender os pedidos publicando mais algumas (portanto há algumas dinâmicas nesse blog) mas logo percebi que estava se desvirtuando o assunto do blog, que não é só para tratar de dinãmicas, então criei o blog Coelho da Cartola, onde publiquei já diversas dinâmicas e também técnicas para usá-las visando determinados objetivos. Também publico templates de jogos em classe e o blog também já é um sucesso. Já tem milhares de visitas e 70 postagens, de forma que se você o visitar há uma grande chance de encontrar a dinâmica que procura, ou então algo bem próximo que você poderá adaptar e usar.

Se por acaso não encontrar no blog Coelho da Cartola o que procura, há no rodapé do blog um formulário, “Encomenda de Dinâmicas”, que você deve preencher com os dados solicitados, enviar e no prazo de uma semana vou enviar o que me pediu.

Aqui continuarei a tratar das dinãmicas – quando for o caso – mas para não desvirtuar completamente o objetivo do blog peço a compreensão de todos para que peçam suas dinâmicas só no blog Coelho da Cartola e pelo formulário, assim eu terei todos os dados que preciso para criar.

Para acessar o blog, clique no link do nome que está com link aqui na postagem,, ou olhe aí na barra lateral, há um bannerzinho, clique nele, ou então digite: coelhodacartola.blogspot.com. Uma vez no blog, procure nas dinâmicas postadas (como já disse há 70 postagens), procure por assunto (na barra lateral do blog há dezenas de assuntos diferentes) e se não encontrar, procure o formulário que está beemmmmmm embaixo no blog e envie seu pedido.

Leia também: Dinâmica para interpretação de textos

Crie jogos online

Se você não leva muito jeito para a coisa ou não tem tempo para elaborar jogos para seus alunos, visite o site TOOLS FOR EDUCATORS. Você vai encontrar centenas de jogos que você pode configurar do seu jeito e depois imprimir. Crie cruzadinhas, caça-palavras, tabuleiros para jogos, dados, etc. Tudo o que você imaginar eles com certeza planejaram antes e está tudo lá, ao alcance de um click. Seus alunos vão adorar a novidade e com certeza aprecirão muito mais suas aulas. Além do inglês há recursos para outros idiomas.

Leia também: Crie jogos de tabuleiro (board games) para praticar sua matéria

O primeiro dia de aula já foi…

O grande dia já aconteceu e agora aos poucos as coisas vão voltando ao normal, os alunos já colocaram as novidades em dia e já estamos entrando no ritmo. Alguns colegas já postaram a respeito, como é o caso do blog Sinais da História – Primeiro dia de aula. Estávamos todos ansiosos por voltar e agora temos um ano todo pela frente.

Alguns alunos ficam no oba-oba e para esses parece que o primeiro dia vai se perpetuar, temos que chamá-lo de volta à realidade senão as provas acabam pegando-o de surpresa. Mas há que desculpá-los, a volta às aulas é um momento tão bom, de reencontro com os amigos, com tudo novinho e limpinho… até eu gostaria que todo dia fosse o primeiro.

Infelizmente não dá, nem tudo é festa, mas podemos preservar um pouco desse primeiro dia, desse entusiasmo todo, em alguns momentos de nossa aula. Podemos e devemos usar jogos, dinâmicas e outros recursos para que a aula fique sempre de cara nova, para que os alunos fiquem sempre esperando alguma coisa que os leve a sair da rotina.

Aliás a palavra “rotina” é de fazer qualquer um perder a vontade de fazer qualquer coisa. Uma rotina de estudos, uma rotina de trabalho por exemplo, são coisas que nos mantém organizados e aptos a levar a cabo todas as responsabilidades que nos propusemos honrar, mas rotina no ensino é uma coisa desgastante não só para os alunos como também para nós.

Dar uma mesma aula pela enésima vez é frustrante. Eu admirava muito uma professora de português que trabalhava comigo, mas um dia em que dei a ela uma sugestão e ela me respondeu:

– Não, eu faço desse jeito há 30 anos e sempre deu certo!

Nesse dia toda admiração que eu sentia por ela caiu por terra. É claro que assim à primeira vista a aula era boa e ela transpirava segurança, já que trilhava o mesmo caminho há 30 anos! Mas para quem assistia a aula dela toda semana, ano após ano, deveria ser uma coisa terrivelmente entediante. E eu nem sei como ela conseguia repetir aquilo tudo de novo, depois de tanto tempo.

E eu não pude deixar de me perguntar: “será que os alunos que ela tem agora têm o mesmo perfil, os mesmos interesses e a mesmo tipo de experiências que os que ela teve lá no início, há 30 anos?”

Deus me livre de estagnar, de virar pedra e ficar repetindo maquinalmente a mesma coisa por anos a fio. Se faço uma coisa e não dá certo vejo onde errei, procuro melhorar ou mesmo descartar. Se deu certo vou querer que da próxima vez dê mais certo ainda e vou em busca de uma adaptação ou de alguma coisa para acrescentar, para mudar.

Estou sempre buscando ideias novas, e pelo que vejo aqui no blog não sou a única. O que vejo são milhares de profissionais que estão sempre à procura de melhorar para ajudar seus alunos de forma cada vez mais eficaz.

Eu tiro o chapéu para Sherazade, que livrou-se de um marido que não queria contando a ele uma história interessante e diferente durante mil noites. Se fosse sempre a mesma história, ou se fosse sempre parecida, ai dela. E ai de nós, professores, se não tivermos a cada dia uma coisa diferente para encantar e motivar nossos alunos!

Leia também: A lição de casa não precisa ser monótona e repetitiva

%d blogueiros gostam disto: