Inglês e espanhol na escola

Por decreto do presidente, além do inglês os alunos também devem aprender o espanhol na escola. No papel fica bacana, poderia até tirar nosso país do 85º lugar (se não me falha a memória) em educação no mundo e fazer com que escalemos alguns números para cima.

Mas – como disse Charles De Gaulle em uma visita ao Brasil: “Isso não é um país sério.” Apesar de estar aqui há pouco tempo acho que ele foi bem perspicaz e realmente resumiu o que muitos de nós também pensamos. Botar no papel é fácil, tornar isso uma realidade seria uma missão quase impossível – se fosse levada a sério.

O inglês da escola pública já não é levado ao pé da letra. Não é como as outras matérias, não reprova. O professor tem que – mais que ensinar – entreter os alunos para que não se aborreçam ou destruam a classe durante a aula. Se eu desse aula de inglês em escola pública garanto que ia aparecer todo dia fantasiada de palhaço. Não, meu amigo! Professor de inglês não é palhaço, mas como dizia o Jô em seu bordão: “mas estão nos fazendo de palhaços”.

E incluir o espanhol nessa palhaçada não sei se foi uma boa ideia. Dizer que “a partir de 2008 – ou 2100 – o ensino do espanhol será obrigatório na escola pública” fica muito bacana, mas quem é que vai ensinar? Se você aí parar pra pensar que nesse país não se ensinava espanhol na escola pública até poucos anos atrás (aliás em escola nenhuma, exceto nas escolas de idiomas) quem é que se preparou para ensinar espanhol? Onde haverá professores para dar aulas para tanta gente?

Mas professor é danado, correram e foram à luta. Será que houve alguma compensação? Depois de tanto esforço, os poucos profissionais capacitados na área estão correndo feito loucos para encontrar material e meios para ensinar alunos que nunca viram espanhol na vida e acham que “espanhol é igual português”.

Bem, se pelo menos soubessem português já seria um ponto de partida, mas será que o espanhol vai reprovar ou irá juntar-se ao “clube” das matérias que são incluídas na grade só para passar o tempo e entreter os alunos? Será levado a sério ou também vai acabar em pizza? Em pizza, não: em paella.

Leia também:

Dinâmicas e jogos para história e geografia

Inglês não reprova na escola

O ensino de idiomas na escola

Visite a página no Facebook: Professor de inglês no Brasil


Anúncios

6 Respostas

  1. Olá! Por incrível que possa parecer, está dando certo! Ao menos por enquanto… Comecei a dar aulas de espanhol na rede pública neste semestre (sou formada em Letras Português/Espanhol pela USP), a diretoria está me ajudando, tirando cópias do material didático que organizei, e os alunos parecem bastante interessados. Pode ser que isso mude de figura daqui a alguns anos, mas minha impressão inicial é bastante positiva!

    1. Olá
      Quando as coisas dão certo é muito bom, se não dão é necessário analisar o que deu errado.
      Um abraço

  2. Gostaria de dinâmicas para aula de língua inglesa do ensino fundamental pois tenho algumas dificuldades.

    1. Visite o blog http://coelhodacartola.blogspot.com, que contém cerca de 100 dinâmicas.

  3. Oi! Concordo com a Renata. Também ensino espanhol na rede pública aqui em Recife e os alunos receberam muito bem a inclusão do idioma. É claro que não podemos exigir muito desses alunos, ao menos de inicio, mas acredito mesmo que poderemos mudar o atual cenário da língua estrangeira na rede pública se nos empenharmos, principalmente com aulas dinâmicas. Não precisamos nos vestir de palhaços, mas mostrar tanta vontade em dar dar aulas, como esperamos que eles tenham em aprender. Acredito que isso já faz muita diferença.

    1. O ensino de espanhol é mais do que necessário, uma vez que algumas universidades o incluem no vestibular, ou aparece como uma opção de idioma estrangeiro.

%d blogueiros gostam disto: