Como prevenir o bullying?

O que hoje chamamos de “bullying” no meu tempo de escola era tolerado e considerado normal, a não ser que ultrapassasse todos os limites. Até os professores o praticavam (mesmo sem saber), de acordo com o que hoje consideramos assim.

Como professores somos responsáveis não só pelo aprendizado dos alunos mas também por sua segurança e desenvolvimento físico, mental, intelectual e emocional – pelo menos dentro da escola. Quando estamos dando aula também nos tornamos um pouco responsáveis por cada um dos alunos.

A primeira forma de prevenir o “bullying” é estabelecer regras simples e claras de respeito entre os alunos. Eu respeito todos os meus alunos, portanto eles também naturalmente me respeitam. Piadinhas tendo como alvo um aluno específico (ainda mais se forem frequentes) não são toleradas e se acontecerem com certa freqüência irei pedir aos envolvidos para ficarem para conversar comigo após a aula para entender o que está acontecendo.

Manter o diálogo com os alunos, mostrar-se interessado em suas conquistas e problemas, mostrar-se sempre aberto ao diálogo também pode fazer com que um aluno com esse tipo de problema o exponha para você.

Observar também é muito importante. Eu tenho por hábito não só observá-los enquanto estão dentro da classe, mas quando termina a aula espero que saiam e depois sigo a turma a uma certa distância até que saiam da escola. Em caso de suspeitas desço as escadas e observo enquanto se afastam. Qualquer anormalidade é logo anotada mentalmente e depois irei de forma casual e com naturalidade indagar sobre o caso com o aluno na primeira oportunidade.

Conversar com oprimido e opressor é importante, pois não é apenas quem sofre bullying quem precisa de ajuda. Quem o pratica geralmente também tem outros problemas emocionais ou sociais e também precisa de suporte. Acima de tudo seja discreta e não transforme um caso ameno de bullying num caso de estado. E não subestime os casos mais graves, peça ajuda assim que se delinearem, antes que as coisas saiam do controle e os danos causados sejam mais graves do que uma simples conversa possa resolver.

Mantenha-se informado sobre o assunto para saber como agir se for necessário (aqui no blog encontrará informações e orientação). Apesar de estar “na moda”, o assunto na verdade não trata de um problema novo, mas na maioria dos casos pode ser banido sem prejuízo para nenhuma das partes.

2 Respostas

  1. Bastante interessante por os assuntoa abordados são o que esta acontecendo atualmente e todos os profissionais de educaão com pouca ou muita experiência constantemente precisam de novas informações para lidar os diferentes tipo de indisciplina no ambiente escolar e fora dele.
    Bem como realizar atividades diferenciadas para as aulas no dia a dia, e ficarem repetitivas tornam se desinterresante, o que pode ser massante para ums pode ser novidades para outros.

  2. SOU PROFESSORA A QUASE 12 ANOS. MAS NUNCA ESTAMOS PREPARADOS O SUFICIENTE P/ LIDAR COM OS CASOS DE SALA DE AULA Q SURGEM DE REPENTE. PARA MIM É SEMPRE BEM VINDAS AS ORIENTAÇÕES DA ZAILDA. LEIO COM MUITA ATENÇÃO E ME SERVEM DE INSPIRAÇÃO PARA LEVAR COISAS NOVAS PARA MINHA SALA DE AULA. PARABÉNS POR SE DEDICAR A ESSA VIDA DE EDUCADORA.

%d blogueiros gostam disto: