Recursos da internet na educação

Recentemente me perguntaram que uso se pode fazer da internet para interagir com os alunos e para incrementar seu aprendizado. Quando comecei a responder percebi que esse era um tema bem vasto que bem poderia ser partilhado com um artigo no blog. Depois, à medida em que fui analisando o assunto ,percebi que esse assunto (para ser tratado com seriedade e profundidade, dando suporte e recursos aos leitores) deveria se estender por mais de um artigo. Portanto até esgotar esse assunto irei apresentar aqui as ferramentas da internet que podem ser usadas como auxiliares no ensino e também ideias para sua utilização.

Como o assunto é vasto e as possiblidades são quase ilimitadas, tenham paciência comigo se por acaso o assunto não despertar seu interesse logo de cara, porque pode ser que em algum dos artigos você perceba que encontrou uma ferramenta perfeita para interagir com seus alunos ou sanar problemas que há muito estão tirando o seu sono (ou nem tanto).

Quando se fala em “uso da internet” alguns já balançam a cabeça, pensando que para usar os recursos da internet precisam criar e manter um blog ou site. Ledo engano. Quando você baixa um arquivo ou figura que encontrou na internet (ou mesmo quando lê um artigo como esse aqui) você já está usando um recurso para incrementar suas aulas. É necessário entender que há várias formas de “participar” ou “navegar” na internet, portanto vamos analisar as formas mais frequentes, enquanto você analisa em qual delas você se encaixa. Para melhor separar os tipos vou criar aqui um “nome” para cada um, como eu os vejo, porque na verdade não estão “separados”, há vários graus intermediários e também combinações de dois ou mais tipos.

Leitor de email – se você é do tipo que se conecta preferencialmente para ler seus emails encaixa-se nesse tipo. Normalmente os “leitores de emails” podem até ter alguns perfis em alguns sites mas são os principais consumidores dos “artigos de comunicação de massa” – o (im)popular “spam”.

Eu também já fui assim (como a maioria de nós), então eu entendo. Esses leitores de emails estão vez por outra pegando vírus de msn ou então dessas mensagens horrorosas que vêm em ppt e mais recentemente em vídeos. Quem tem tempo de ficar abrindo uma por uma? Fica para quem vê a internet como fonte exclusiva desse tipo de “trocas”.

No caso específico de professores, pode haver algum tipo de interação, participação em algum grupo de envio de mensagens ou arquivos por email. Independente do seu grau de informação ou de conhecimento de informática, esse leitor limita-se a “ler”. Navega em sites coletando informações, visita links sugeridos e alguns até participam como membros de algum site para professores, mas sua participação para “mudar” alguma coisa é mínima.

Coletor de informação – esse segundo tipo já é mais objetivo, pelo menos no que diz respeito a conseguir da internet o que deseja e lhe será útil. Já usa o “favoritos” e visita determinados sites de onde retira informação que poderá ser usada para seu aperfeiçoamento como profissional ou diretamente em suas aulas. Bem mais eficiente em suas buscas, conhece vários sites de onde pode baixar material e obter informações importantes para o ensino e domina algumas ferramentas virtuais: comenta blogs, solicita informações, preenche formulários, lê cuidadosamente, escolhe, explora.

Escritor – esse tipo tem um blog ou site onde posta suas ideias ou material, interage com alunos nas redes sociais, prepara material e o distribui online para alunos seus e de outros professores. Participa de fóruns, dá opiniões, posta vídeos, dá ideias e sugestões, participa ativamente de grupos e redes. Descobriu que a internet é não apenas um ótimo veículo para se obter informação, como também para difundí-la.

Difusor de informação – utiliza recursos da internet 2.0 para que seus alunos se tornem auto-suficientes e façam uso de todas as ferramentas disponíveis para seu aprendizado. Ele não envia a internet para o aluno, ele faz com que o aluno venha até ela e beneficie-se, tornando-se também um escritor. Utiliza material e jogos online, cria e mantém classes virtuais com exercícios e testes online com feedback constante.

Em qualquer das categorias que você se encaixe, sempre haverá ferramentas que pode utilizar para seu crescimento profissional e o aperfeiçoamento de seus alunos. E sempre há uma tendência de “subir” de uma categoria para a seguinte, à medida que os recursos dentro de sua forma de interagir forem se tornando insuficientes ou insatisfatórios, pois é natural do ser humano sempre querer mais, sempre exigir mais e melhor.

Nos próximos artigos vou sugerir e explicar como funcionam diversas ferramentas que podem ajudar em cada um dos estágios mencionados acima. Não importa se você é um expert em informática e um verdadeiro “hacker” ou se sabe apenas clicar no botão de “entrar” e “sair” de sua caixa de email, sempre haverá uma forma de conseguir bons recursos para melhorar a qualidade do ensino e favorecer o aprendizado de seus alunos.

Leia também: Você quer fazer um blog?

Anúncios

4 Respostas

  1. Como faz pra adquirir os produtos??? lindos, parabéns

  2. […] tipo (já falamos do leitor de emails) é o coletor de informações. Para ver seu tipo, confira aqui. Esse tipo coleta muitas informações, é o professor que conhece vários sites onde pode baixar […]

  3. Muito interessante esse artigo e de grande relevância também. Os recursos da internet merecem ser bem explorados pelos professores.

    1. A internet hoje pode ser um potente aliado dos professores, favorecendo o desenvolvimento dos alunos e facilitando o contato fora da sala para atividades complementares.
      Zailda

%d blogueiros gostam disto: