Ensinar um idioma não é difícil

Antes de mais nada, para ensinar um idioma é necessário dominá-lo, tanto na escrita, quanto na conversação. Professor que não domina o idioma que ensina sente-se inseguro e essa insegurança transparece para os alunos, que via de regra procuram expor suas falhas e fazem piadinha às suas costas. Portanto se você é professor de inglês mas não fala o idioma, matricule-se num curso para aperfeiçoar seu conhecimento e sua pronúncia porque os alunos são os piores algozes dos professores que não dominam perfeitamente a matéria que ensinam.

Alguns métodos – como o Kumon – que têm uma proposta de estimular o aluno a tornar-se independente e auto-didata não exigem esse conhecimento, mas como não conheço perfeitamente a técnica não vou falar especificamente sobre ela.

Nos outros cursos – e especificamente na escola – é necessário um mínimo de conhecimento e domínio da gramática para evitar situações constrangedoras. É claro que o aluno vai tentar a todo custo desviar o assunto da aula perguntando o significado de palavras que nada têm a ver com a mesma, também como forma de testar o professor. Quem já não passou por isso?

Se a palavra tem relação com o assunto uma resposta sincera (no caso de ignorância) deve ser dada. Diga que você não conhece o significado mas que irá pesquisar e responderá na próxima aula. Mas faça isso mesmo, os alunos lembram-se das promessas que fazemos a eles e é bom cumprí-las para manter sua confiança em nós.

Mesmo que você não domine o assunto, coloque-se no lugar do aluno quando for preparar sua aula e faça uma lista de palavras relacionadas (que podem ocorrer ao aluno perguntar) para evitar surpresas desagradáveis. Você também pode passar essa lista de palavras na lousa quando terminar a lição e dessa forma acostumá-los a não perguntá-las durante a aula, esperando pelo glossário complementar.

Caso a palavra não tenha nada a ver com a aula, faça com que o aluno veja isso, já que você não tem a mínima obrigação de explicar nada que fuja do assunto. Você pode pedir a eles que caso tenham alguma dúvida que não esteja relacionada com a explicação, que a procurem para esclarecê-la no final da aula, dessa forma evitando que eles tumultuem a aula e desviem o assunto da mesma.

Alguns professores da cidade onde eu morava tinham vergonha de frequentar as classes do CCAA para aperfeiçoarem seu inglês, com medo de sentar-se ao lado de seus (possíveis) alunos. Querer aprender e esforçar-se para isso não é vergonha, muito pelo contrário, demonstra respeito pelos alunos e dedicação à sua profissão. Permanecer ignorante e negar essa ignorância a todo custo é uma atitude que não leva a nada, preserva o orgulho da pessoa mas não ajuda a ninguém. É melhor ter a humildade de admitir o que não sabe e a coragem de aprender do que ser alvo constante de chacotas dos alunos. E pode ter a certeza de que eles não se deixam enganar.

Leia também: Cenas de filmes em sala de aula

%d blogueiros gostam disto: