Aprender um idioma não é difícil

Na verdade não existe nada fácil ou difícil se a gente sabe o que quer. O que acontece é que as pessoas têm a mania de desistir quando descobrem que para realizar seu sonho de falar inglês ou espanhol terão que dedicar-se e assumir algumas responsabilidades.

É como se você tivesse o sonho de ter um corpo malhado, fizesse sua matrícula na academia e achasse que só fazendo isso já estava assegurando que seu corpo ficasse do jeito que você sonhou, sem ter que malhar horas a fio toda semana e seguir uma dieta recomendada pelo seu preparador físico.

Todo mundo que se matricula em uma escola de idiomas tem por objetivo aprender uma língua estrangeira, mas quando percebem que terão que se empenhar para que isso aconteça, desistem do seu sonho. Não todos, evidentemente. Mas alguns preferem abrir mão de seu sonho ou então sair em busca de “respostas milagrosas” e que não impliquem em qualquer esforço de sua parte. Não é necessário dizer que se encontram essa resposta é pura embromação, certo? Não existe aprendizado sem um mínimo de participação ou esforço do aluno, mas existem meios para tornar esse esforço menor ou menos cansativo.

Seguindo regras simples desde o primeiro dia você assegura um aprendizado eficiente e em pouco tempo verá que já está galgando os primeiros degraus que o farão chegar onde quer. E para dominar um idioma não existe segredo, uma vez que esse mecanismo já existe em nosso cérebro, só precisa ser reativado, uma vez que deixamos de usá-lo lá pelos 6 anos de idade.

Uma forma de simplificar seu caminho rumo ao que pretende é ter em mente o tempo todo que você agora está aprendendo inglês (ou espanhol). Sempre que ouvir alguma coisa nesse idioma, ou que encontrar um texto, por exemplo, preste atenção e procure achar coisas que já consegue entender. Caso seja muito difícil, guarde para ver de novo em 6 meses e ver até onde você vai conseguir. Hoje eu vejo coisas que quando iniciei meu aprendizado me pareciam um bicho de sete cabeças e que agora me parecem extremamente simples, e é bom guardá-las para comparar e avaliar o caminho que percorremos.

Outra forma de abreviar seu tempo de aprendizado é fazer todas as atividades propostas pelo seu teacher ou maestro assim que ele as pedir, não deixando para a última hora e perder o prazo então, nem pensar! Quanto mais cedo você se aplicar em sua atividade, mais fresca estará a matéria em sua cabeça e maiores as chances de obter um bom resultado.

Veja em sua classe entre os alunos mais interessados e forme um grupo de estudos com aqueles que têm horários parecidos com os seus. Tive algumas classes nas quais os alunos montaram grupos de estudos e chegavam meia hora mais cedo para fazer as atividades ou para rever a matéria e o rendimento desses alunos era infinitamente superior aos demais, houve até casos de alunos que tinham muitas dificuldades para aprender e que depois que passaram a fazer parte desses grupos conseguiram passar de nível sem nenhum problema e alguns com notas bem altas. E tudo isso com meia hora a mais, duas vezes por semana.

Encontre programas de rádio ou de TV no idioma em que você está aprendendo, não importa que no começo não esteja entendendo nada. À medida em que for se acostumando e se aprofundando no estudo de seu idioma irá entender cada vez mais e treinar seu ouvido dessa forma será muito benéfico.

Outra medida de muita valia é abolir as legendas em português nos filmes. Se você tiver muita dificuldade porque ainda está no começo, coloque então as legendas no idioma original. Com o tempo você irá abandoná-las também e vai perceber que sem ter que ler legendas vai aproveitar muito mais porque poderá prestar atenção ao filme em vez de ficar lendo as legendas, que nem sempre são exatamente o que o ator ou atriz está dizendo.

No caso do inglês, tente assistir a filmes americanos, ingleses, irlandeses ou de qualquer outro país em que se fale o idioma, para ir se acostumando às diferenças de pronúncia e vocabulário. Afinal de contas nunca se sabe com quem você vai ter que conversar no futuro. No caso do espanhol vale a mesma regra, há quase 30 países que falam espanhol e cada região tem suas peculiaridades que vale a pena conhecer.

E mais uma coisa: o aprendizado de um idioma só é completo se compreendemos o seu contexto, ou seja, se conhecemos os costumes do povo que o fala. Só entenderemos as diferenças entre o inglês britânico e o americano, ou ainda, entre o inglês “standard” e o “black English” – falado pelos negros americanos – se entendermos a cultura do grupo ou povo que o fala, e aprender sobre eles é uma fonte a mais de prazer em nosso aprendizado.

Sobretudo não tenha medo de errar porque é errando que se aprende, desde que se use os erros como incentivo para acertar no futuro, já que insistir sempre no mesmo erro só demonstra teimosia ou falta de atenção. Nunca desperdice a chance de conversar com um nativo, mesmo que ele entenda bem pouco do que você diz, ou que você tenha que se comunicar com gestos uma boa parte da conversa. Isso não importa, porque quanto mais contato você tiver com nativos, mais fácil será treinar sua pronúncia e conversação.

Caso você esteja estudando inglês, o site Shared Talk conta com um chat onde você pode falar online com diversos nativos de língua inglesa. Então, o que você está esperando? Vamos lá treinar seu inglês.

Leia também: Métodos de ensino

3 Respostas

  1. […] Questão de classe: Aprender um idioma não é difícil […]

  2. Para mim, a melhor coisa é a imersão!!!

    se está tentando aprender uma outra língua, tem que ter vontade de estar “dentro” desse ambiente, isto é, filme sem legenda, rádio, etc…

    mesmo que, no início, não entenda nada!!!

    []s

    Dinho

    http://agrj.wordpress.com

    1. Concordo plenamente com você, quanto mais o aluno ouvir, ler e praticar o novo idioma, mais rápido e mais eficiente será seu aprendizado.

%d blogueiros gostam disto: