Qual a duração ideal para uma dinâmica?

A dinâmica deve ser usada apenas como auxiliar, seja no aprendizado dos alunos, ou para modificar seu comportamento, ou ainda para reforçar alguns conceitos necessários ao desenvolvimento harmônico do grupo. Nunca se deve encarar uma dinâmica como parte da aula, ela deve encaixar-se nos minutos que sobram no cronograma do professor.

Para evitar que se use numa dinãmica um tempo que depois fará falta para passar a matéria do curso, o professor tem que ter um cronograma bem exato e claro (ver postagem ‘A importância de um cronograma‘) para saber de quanto tempo poderá dispor e assim adequar a dinâmica que melhor atenda aos seus objetivos e também que se encaixe no tempo de que ele pode dispor.

Seria ótimo ter uma aula só com jogos e dinâmicas mas sabemos que a maior parte do tempo que passamos com o aluno é mesmo para passar a matéria que será exigida depois nas provas, sendo esse o objetivo primordial da escola. A dinâmica surge apenas como um facilitador, um ‘extra’, e assim deve ser encarada pelo professor. Professores que abusam desse recurso, tomando com ele o tempo da matéria normal geralmente são muito queridos pelos alunos, que costumam adorar suas ‘aulas’. Infelizmente no final do ano letivo o rendimento dos alunos costuma ficar abaixo da média esperada porque não adianta estimular o aluno se não se aproveita que ele está motivado para apresentar-lhe a matéria a ser estudada.

A dinâmica seria apenas uma ‘preparação do solo’ para nele plantar depois a semente, sendo o aprendizado o ato de germinar e tornar-se uma planta. De nada adianta preparar o solo até a exaustão se não plantamos convenientemente a semente no momento certo e na quantidade necessária.

Leia também: A importância de um cronograma

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: