Ouvir em vez de falar

Faça perguntas aos alunos antes de explicar para descobrir o que eles já sabem.

Faça perguntas aos alunos antes de explicar para descobrir o que eles já sabem.

Os professores preocupam-se com sua voz porque é sua ferramenta de ensino, já que na prática falam quase que o tempo todo. Mas não deveria ser assim. Eu entendo que o professor deve ouvir mais que falar. Quem tem que falar é o aluno, e não é verdade que eles gostam de falar?

Quando vou explicar alguma coisa começo sempre fazendo perguntas porque algumas coisas os alunos já sabem ou deduzem. E vou explicando a partir do que já sabem, perguntando sempre e apontando alguns alunos para responder, assim mantenho-os sempre atentos, já que não sabem quem será o próximo a ser chamado.

‘Assim vai demorar mais’ pode pensar você, mas está enganado. A matéria ensinada com a cooperação dos alunos, além de ir mais rápido porque uma parte eles já sabem antes mesmo de você explicar com detalhes, fica mais fácil de fixar porque eles usam um vocabulário com o qual estão familiarizados.

Quando um professor explica algo a um aluno tem que descer até o nível de conhecimento dele e usar o vocabulário que ele conhece, mas nem sempre isso acontece. Quando é o aluno quem explica essa ‘distância’ não existe, uma vez que usará vocabulário conhecido pelos demais e se der exemplos, serão também familiares aos outros alunos.

Peça sempre aos alunos que dêem exemplos, finja que não entendeu, peça para outro aluno explicar o que entendeu a respeito do que o outro disse. Ponha todos para trabalhar, não faça de sua aula um monólogo enfadonho que só interessa a você mesmo.

Leia também:

Uma aula mais dinâmica e interessante

2 Respostas

  1. Hey Zailda,

    I definitely agree here with you too. We need to let our students talk more. I recently pretended I had a ‘sore throat’ in class. I let the students ask questions and I replied by writing my answers on the board. They thought it was pretty fun.

    Whenever, they asked why I wasn’t talking I just pointed at my throat. So, they all started talking and we had a great time.

    At the end I explained that my throat wasn’t sore…I just wanted to force them to talk more. They were pretty pleased with how much they had been able to communicate.

    Um Forte Abraço,
    David A. Bailey, Jr

    1. I think it’s a great idea! Since the very beginning I tell my students to pretend I’m an American so they only talk in English during class. We play some other games that maybe you want to see in my blog Coelho da Cartola. Feel free to leave your comment or send a message.

%d blogueiros gostam disto: