A lição de casa não precisa ser monótona e repetitiva

A lição de casa não precisa ser monótona nem repetitiva, com um monte de coisas para copiar ou passar verbos do presente para o passado, esse tipo de coisas. No final das contas não ajuda em nada porque assim que o aluno entende como é o exercício começa a fazer quase maquinalmente, sem prestar atenção ao que está fazendo.

Exercícios que são uma mera cópia de textos ou palavras também não ensinam muito, além de serem muito chatos.

A lição de casa é uma forma de fazer o aluno fixar o que aprendeu, então ele pode simplesmente usar o que viu em sala de aula de forma prática. Por exemplo, se você ensinou adjetivos, peça para que descreva alguém da classe com o máximo de adjetivos que conseguir e depois na aula seguinte peça a alguns deles para ler e a classe (ou alguém designado por você) vai descobrir sobre quem ele está falando.

Se está ensinando verbos no passado, peça ao aluno para entrevistar alguém em casa sobre alguma coisa engraçada que lhe aconteceu, e depois contar por escrito. Ele vai ter que usar os verbos no passado.

Se seus alunos são um pouco maiores e já dominam o uso da internet, peça para entrarem no YouTube e encontrarem um vídeo relacionado ao que estão aprendendo. Pode ser alguma estrutura gramatical ou palavra do vocabulário. Eu encontrei vídeos ótimos sobre “costumer service” e “slamming the door”, por exemplo. Eles podem depois contar por escrito o que viram ou passar o link para outros colegas da classe. Você pode até criar um campeonato nesse sentido.

Pode também pedir que encontrem a letra de uma música que contenha uma frase que estão aprendendo. A melhor música você pode ensinar no final do mês. Ou podem eleger a música que querem aprender por votação.

Tente transformar a lição de casa em algo desafiador e empolgante, algo que os faça ver o uso prático do que estão aprendendo, faça com que se envolvam com ela de todas as formas: na família, com os amigos, em classe, na internet, com música. Faça desafios entre classes, peça para criarem letras de música no idioma (ou com a matéria que você ensina).

O limite é a sua imaginação (e também o tempo que terá para trabalhar com o material que eles produzirem). Faça-os trabalhar em projetos e em breve eles estarão não estarão só aceitando passivamente o que você apresenta, mas sim trazendo novidades relacionadas.

Leia também: Aluno que não faz a lição de casa

Anúncios

3 Respostas

  1. Olá! Acabei de concluir um projeto no qual me empenhei nos últimos dias: O ALMANAQUE DE BRINCADEIRAS.

    Ele contém 500 atividades recreativas, entre brincadeiras ao ar livre, dinâmicas de grupo, brincadeiras de salão, brincadeiras para gincana, brincadeiras para crianças e adolescentes de todas as idades (do pré-escolar ao ensino médio).

    É uma obra bem elaborada e incrivelmente completa. Item obrigatório em qualquer instituição de ensino ou organização que desenvolve atividades com crianças.

    Também é interessante para pais e voluntários que promovem brincadeiras com a garotada da família e da vizinhança. São atividades bem legais e fáceis de fazer, que com certeza irão promover momentos intensos de alegria e lazer saudáveis.

    Baixe esse manual e ponha em prática as brincadeiras. Além de estar garantindo uma infância mais saudável às nossas crianças, você também estará garantindo a todos os participantes momentos inesquecíveis de felicidade.

    ACESSE:
    http://brincadeirasderua.zip.net

    1. É verdade, fui lá conferir antes de aprovar o comentário, muito interessante mesmo a sua idéia! Acho que as crianças precisam reaprender a brincar, hoje em dia ficam só na frente do videogame ou na internet.
      Talvez você goste do site onde posto brincadeiras, jogos e dinâmicas, é o Coelho da Cartola.
      Apareça sempre!

  2. […] também: A lição de casa não precisa ser monótona e repetitiva Tags: aula, blog, brincadeiras, educação, ensino, Escola, jogos, link, […]

%d blogueiros gostam disto: