Ajudando o aluno a lidar com a frustração

Quando um aluno não consegue atingir uma meta ou quando seu resultado fica aquém do desejado a frustração é inevitável e natural. Claro que depois de dedicar seu tempo e atenção a uma atividade é frustrante obter um resultado abaixo do esperado.

O importante é mostrar ao aluno que sempre se pode voltar e refazer o que não ficou de acordo com o que se queria e que o fato de não ter atingido a meta não significa que ele esteja abaixo da maioria. É bom sempre mostrar que o que está sendo julgado é seu rendimento e não ele mesmo, como pessoa. Ou sua inteligência. Alunos que conseguem baixo rendimento muitas vezes acabam por considerar a si próprios “burros”, mas a verdade é que um bom resultado é conseguido por um desempenho satisfatório nas atividades que levam ao aprendizado e não por ter um QI maior ou menor.

Seria interessante que o professor também desse exemplos de sua própria experiência, de seu início no aprendizado do que ensina e de seus próprios fracassos, sinalizando para o aluno que um fracasso não significa o fim, e sim um recomeço.

Ajudar o aluno a entender como errou, porque errou e como consertar o que fez errado será importante não só para que ele se sai melhor em avaliações futuras mas também fortalecerá sua auto-estima, fator essencial para o aprendizado.

Leia também:

  • O aluno aprende sem o professor?
  • Fim de ano, hora de balanço geral
  • Qual a matéria mais importante na escola?
  • Multipla escolha – desafio ou facilitador?
  • Revisão de provas – aprendendo com os próprios erros
  • %d blogueiros gostam disto: