Professora novata sofre

Quando comecei a dar aulas na Copac minha maior preocupação não era com o ensino do espanhol mas sim com a aceitação das turmas ao meu método de ensino. Como eu daria aulas para o segundo grau essa preocupação se agravava porque alguns alunos do colegial acham-se já aprovados e não fazem o menor esforço para ser simpáticos.

Lembro-me que na minha primeira semana fui bem acolhida por algumas turmas, enquanto que em outras alguns alunos torceram o nariz quando eu disse que era a nova professora de espanhol. Alguns alunos chegaram inclusive a retrucar:

– Espanhol pra quê? Já temos tantas matérias…

E assim fui levando, apresentava-me às turmas tentando manter a calma e mostrar-me o mais simpática possível. Mas quando cheguei ao terceiro ano, vários alunos olharam-me de cima a baixo ostensivamente enquanto eu pigarreava e me preparava para iniciar minha apresentação.

Um tanto nervosa iniciei meu discurso, mas mal havia começado quando um aluno levantou-se e me interrompeu arrogantemente:

– Ah, mas pra quê estudar espanhol? Espanhol é igual Português!

Não sei se demonstrei todo meu desagrado na voz, mas olhando fixamente pra ele disse bem séria:

– Ótimo, e como eu sei que vocês todos dominam o português, creio que não teremos problemas.

Os alunos entreolharam-se, o aluno que me interrompera sentou-se. Creio que entenderam meu recado, porque dali pra frente realmente não tivemos mais problemas.

(por Zailda Mendes)

Uma resposta

  1. […] também: Professora novata sofre Tags: Classe, comportamento, disciplina, educação, Escola, primeira semana de aula, regras, […]

%d blogueiros gostam disto: