Primeira semana de aula – estabelecendo as regras

Em minha opinião estabelecer as regras para uma classe é como namorar, se você começa muito permissivo depois fica complicado para definir regras que não foram combinadas antes. Acho que o ideal é deixar os limites bem claros desde o começo para evitar problemas insolúveis no futuro.

Na escola onde eu trabalho temos uma cópia do regulamento da escola pregado ao lado do quadro negro e isso tem se mostrado muito útil. No primeiro dia de aula uma de nossas tarefas como professores é ler e explicar essas regras aos alunos e durante o ano todo, quando alguma atitude dos alunos infringe essas regras elas estão lá à mão e podemos citá-las com toda a propriedade.

Se a sua escola não tem esse procedimento, você pode providenciar pelo menos algumas ‘regras de convivência’ e deixá-las bem à vista, com letra bem legível, para que possam ser lidas pelos alunos ou citadas por você, se for o caso. Isso também deixa claro para os alunos que não haverá arbitrariedade, as regras não mudarão de acordo com as circunstâncias.

Caso não seja possível porque você não é o único professor a dar aulas naquela sala naquele período, providencie-as impressas num pedaço de papel menor (1/4 de uma folha A4) para que colem na ante-capa do caderno ou livro e tenham sempre à mão para que não tenham dúvidas sobre o que podem ou não fazer. Providenciar um espaço logo abaixo dessas ‘regras’ e pedir aos alunos que a tragam na aula seguinte com a assinatura do responsável é desejável, assim será uma forma a mais de argumentar com os pais caso haja necessidade no futuro, já que ninguém poderá alegar ignorância das tais regras.

Impor simplesmente as regras não é aconselhável, o melhor é explicá-las aos alunos antes de entregá-las a eles. Aceitamos melhor aquilo que compreendemos, a maioria dos seres humanos tende a rebelar-se contra regras descabidas, das quais não compreende a razão. Afinal estamos numa democracia, mas isso não significa que não possam haver regras e que não haverá autoridade alguma na sala de aula.

Convém que as regras sejam claras e objetivas e que não sejam muitas, faça um exame de consciência e reduza-as ao mínimo indispensável para que sejam entendidas, lembradas e cumpridas. Seja realista, uma lista de 30 regras para crianças na faixa dos 7 anos não vai funcionar. Melhor seria que fossem no máximo 10, se forem crianças menores podem ser menos ainda. O importante é que entendam as regras e que consigam lembrá-las no futuro.

Uma vez estabelecidas as regras terão que ser cumpridas. Na primeira semana seja benevolente, se algum aluno as infringir simplesmente leia a regra novamente e deixe claro que ele não está de acordo com elas e que não será tolerado que as desrespeite. Não é necessário ser rigoroso demais, fale com calma e clareza que a regra está ali para ser cumprida.

Se o aluno persistir no erro você deve então chamá-lo para conversar no final da aula para descobrir o motivo de sua rebeldia e tomar as providências que julgar necessárias de acordo com o caso.

Leia também: Professora novata sofre

About these ads

5 Respostas

  1. GOSTEI PORQUE SOU PROFESSORA

  2. GOSTEI MUITO POIS ESSA REGRAS SAO VERDADEIRAS E TAMBEM ´POR QUE SOU PROFESSORA DE UMA ESCOLA CHAMADA HELENA GUIERRA QUE E UM A ESCOLA PUBLICA E ENTAO E UMA BAGUNÇÃ

  3. é mesmo muito importante ter as regras ,na minha turninha todo ano fazenmos as regras no primeiro dia de aula

  4. Gosto de regras pois é através dela que colocamos limites em nossos alunos.

  5. Deus abençoe a vc por compartilhar informações preciosas para as recém formadas,bjocas no coração.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 136 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: